#quemapoia – Débora Mitchell

Standard
Show do Projeto Playing for Change em Porto Alegre.

Show do Projeto Playing for Change em Porto Alegre.

A porto-alegrense Débora Mitchell tem paixão pela música desde o berço. Sua família sempre teve envolvimento com cultura e seu pai, Inácio Mitchell, trabalhou em rádio, TV, como DJ e em produção de artistas. Foi ele, inclusive, que apresentou a ela o Playing For Change, um movimento criado para inspirar e conectar o mundo através da música.

Além de uma banda composta por músicos de rua de diversas partes do mundo, a PFC também é uma organização sem fins lucrativos dedicada à construção de escolas de música e arte para as crianças ao redor do mundo. Débora foi uma das organizadoras do crowdfunding que possibilitou a vinda ao Rio Grande do Sul do coletivo de músicos Palying for Change, pela primeira vez, em 2011.

“O inalcançável sempre parece deliciosamente melhor do que o aparentemente fácil. Queremos sempre ir mais e mais alto, em busca de algo que talvez nem exista, infelizmente, isso se torna o motivo para seguirmos em frente. E seguimos miragem após miragem, em busca do inalcançável doce sabor, para saciar a fome, a sede… o desejo.” Ela cita um texto de Bruno Higeki para descrever seu sentimento em relação às possibilidades do financiamento coletivo, aliadas a sonhos e projetos culturais, como a vinda do PfC, “que, de um sonho distante, se tornou uma realidade ainda mais próxima do que esperava”.

Débora considera a internet algo fantástico e que pode levar as pessoas a coisas inimagináveis. “Do primeiro contato com os integrantes até a mobilização de divulgação foi um pulo. E foi um sonho coletivo tê-los em porto Alegre por dois anos consecutivos num show extraordinário! Isso é crowdfunding!”

Aniversário musical

A paixão pela música se manifestou mais uma vez em seu último aniversário. Quando em dezembro do ano passado a banda brasiliense Alma Djem veio ao Rio Grande do Sul para alguns shows, Débora, fã do grupo, não teve dúvidas: convidou os músicos a se apresentarem em sua festa de aniversário. “Os conheci em meados de 2000. Sempre os acompanhei, desde o auge do sucesso até a pausa que fizeram. Para minha surpresa, percebi que voltaram com toda a força quando vieram tocar no Opiniao em dezembro junto com o Natirus. Foram dois dias de casa lotada! Não pensei duas vezes e os chamei para tocar em meu aniversário, foi incrível!”

Banda Alma Djem.

Banda Alma Djem.

Milonga Orientao – Recompensas

Standard

Bebeto Alves - RecompensasA campanha de financiamento coletivo para o show de lançamento do novo disco do Bebeto Alves, Milonga Orientao, foi bem-sucedida, tendo chegado ao fim na última semana com 107 apoiadores e 103% da meta de R$ 11 mil alcançada – R$ 11.344,00. O show será realizado no dia 13 de maio, no Teatro do CIEE, em Porto Alegre.

Confira abaixo as informações de entrega das recompensas:

APENAS CD MILONGA ORIENTAO: Para os apoiadores que optaram pelo CD sem o ingresso, a recompensa será enviada a partir desta semana por meio dos correios.

PASSAGEM DE SOM: Para os apoiadores que optaram pela passagem de som, pedimos que compareçam no local do show, no dia 13 de maio, 30 minutos antes do início da passagem de som, que inciará às 18h.

DEMAIS RECOMPENSAS: Para os demais apoiadores a retirada dos ingressos e das respectivas recompensas estarão à disposição no Teatro CIEE, no dia 13 de maio, a partir das 20h.

Estamos a disposição para o esclarecimento de dúvidas em relação às recompensas ou ao show pelas redes – Facebook, Twitter – do TSS e pelo email contato@tragaseushow.com.br.

Daniel Wolff prepara lançamento de seu primeiro álbum de canções

Standard

Daniel Wolff no Parque da Redenção. Foto por J L Waxemberg

Primeiro doutor em violão do Brasil – tendo obras interpretadas por orquestras em todo o mundo –, criador do curso de mestrado em violão da UFRGS, ganhador de um Grammy. Ganhador do Prêmio Açorianos 2014 nas categorias Melhor Interprete, Melhor Instrumentista e Melhor Álbum no gênero Erudito, pelo disco Porto Allegro. Este é o violonista gaúcho Daniel Wolff, que realiza seu mais novo projeto através do #tragaseushow.

 Com uma vasta carreira na música erudita e como colaborador de outros artistas – como Kleiton & Kledir, Vitor Ramil, Yamandu Costa –, ele lança em maio seu mais novo álbum, chamado Canção do Porto. Este é o primeiro disco de canções de Daniel, interpretadas por grandes cantores como Nei Lisboa, Angela Jobim, Raul Ellwanger, Fernanda Krüger e Marcelo Delacroix. O repertório abrange ritmos como chamamé, baião, samba e baladas. O trabalho foi financiado através do Funproarte.

 Através do projeto de crowdfunding será realizado o espetáculo de lançamento, no dia 15 de maio, no Salão de Atos da UFRGS, no centro de Porto Alegre. As cotas de financiamento disponibilizam ingresso para o show, o álbum Canção do Porto e até discos anteriores do músico, tanto para retirada no dia do show quanto para envio por correio para todo o país. As recompensas dependem do valor com o qual o apoiador contribui. A campanha segue até 13 de maio.

 Confere a página do projeto: http://bit.ly/TSSdwolff.

Prêmio Açorianos mostra consolidação do financiamento coletivo

Standard

açorianos 2014O financiamento coletivo – ou crowdfunding – deixou de ser uma novidade ou uma ação experimental como meio de realização de projetos artísticos. Pelo menos é o que pode ser apreendido da análise dos concorrentes na edição deste ano do Prêmio Açorianos de Música, que tem cerimônia de entrega dos prêmios realizada nesta quinta-feira, 24.

Oito concorrentes entre as diversas categorias musicais têm algum projeto em que os fãs são agentes ativos e determinantes para sua viabilização. A importância do crowdfunding se mostra principalmente entre artistas independentes, que consolidaram essa ferramenta de financiamento direto baseada interação junto ao público.

Destes, quatro têm projetos concluídos ou em andamento aqui no #tragaseushow. O cantor pelotense Vitor Ramil, com o álbum Foi no Mês que Vem; o rapper porto-alegrense Nitro Di e o álbum Êra Êra; o grupo vocal Mas Bah!, com a turnê Mas Bah! Desplugado; e Daniel Wolff, que iniciou campanha para o financiamento do show de lançamento de seu primeiro álbum de canções, Canção do Porto.

As bandas Apanhador Só e Selton, além das cantoras Gisele De Santi e Luiza Caspary, também aderiram ao financiamento coletivo entre os finalistas do Açorianos 2014. Eles viabilizaram, respectivamente, os álbuns Antes que Tu Conte Outra, Saudade, Vermelhos e Demais Matizes e O Caminho Certo.

Vitor Ramil no Prêmio da Música Brasileira

Standard
Capa do álbum Foi no Mês Que Vem.

Capa do álbum Foi no Mês Que Vem, realizada pelo designer Felipe Taborda com ilustrações de Nara Amelia.

Vitor Ramil está entre os indicados ao 25º Prêmio da Música Brasileira, que terá cerimônia realizada no Rio de Janeiro em 14 de maio. O músico gaúcho concorre nas categorias Melhor Álbum de MPB e Melhor Cantor de MPB.

O registro que levou às indicações no Prêmio da Música Brasileira foi o álbum Foi no Mês que Vem, que teve parte de sua produção viabilizada através de financiamento coletivo na plataforma Traga Seu Show – mais de 800 pessoas, de oito países, apoiaram o projeto. Crowdfunding realizado em 2012, o álbum (e as recompensas aos apoiadores – songbook, relatos em texto e vídeo sobre a produção, downloads, camisetas…) foi lançado no ano seguinte.

Foi no Mês que Vem foi concebido como o acompanhamento musical do songbook do cantor e compositor nascido e sediado em Pelotas, no sul do Rio Grande do Sul. Um disco duplo com documentação em vídeo de todo o processo de produção, que conta com participações de Carlos Moscardini, Fito Páez, Jorge Drexler, Milton Nascimento, Ney Matogrosso, Pedro Aznar, entre outros.

Relembre a fala de Vitor sobre o processo de Foi no Mês que Vem, seu conceito artístico e o financiamento coletivo assistindo ao vídeo de apresentação do projeto:

Prêmio da Música Brasileira

Lançado em 1987, o Prêmio da Música Brasileira teve diversas fases – foi chamado Prêmio Sharp de 1987 a 1998 e, também, de Prêmio TIM de Música, entre 2003 e 2008. A premiação incentiva a descoberta de talentos e premia artistas consagrados e novos. Faz isso celebrando a música nacional: a cada ano, homenageia um artista brasileiro. Em 2014, pela primeira vez em sua história, vai homenagear um ritmo: o Samba.

Bebeto Alves e a “Milonga Orientao”

Standard
Bebeto e sua banda, a Blackbagualnegovéio.

Bebeto e sua banda, a Blackbagualnegovéio.

“Uma das pessoas mais inquietas que conheço, artista extremamente criativo, senhor de uma obra com centenas de músicas, quase 30 discos lançados, trabalhos como ator em teatro e cinema, exposições de fotografias originalíssimas, um filme sobre sua carreira e performances inesquecíveis no palco. Acompanho o jovem desde os anos 1970, quando integrava o grupo Utopia, que influenciou meu fazer musical.”

Assim o músico e – requisitado – compositor gaúcho (radicado no Rio de Janeiro) Antonio Villeroy descreveu, em seu perfil no Facebook, Bebeto Alves, ao compartilhar o projeto de financiamento coletivo “Milonga Orientao”. Misturando ritmos característicos do Rio Grande do Sul e da região do pampa a variadas vertentes da música pop mundial, sendo agregado junto a outros compositores e grupos das décadas de 70 e 80 a chamada Música Popular Gaúcha (MPG), Bebeto tornou-se um dos mais relevantes músicos do estado.

“Milonga Orientao” é o projeto de crowdfunding de Bebeto Alves na plataforma Traga Seu Show e nomeia, também, de seu mais recente álbum. Através de diferentes níveis de participação, os fãs viabilizam show em Porto Alegre, tendo a opção de adquirir o novo CD e outros souvenirs. O prazo para que se atinja a meta de financiamento é 1º de maio, e a página para participar pode ser acessada pelo link a seguir: http://bit.ly/TSSbebeto.

Neil Young + Crowdfunding = Futuro

Standard
pono music

Destacam-se no PonoPlayter o minimalismo nos controles e o formato triangular, conforme as imagens de divulgação.

 

No último dia 11 o cantor canadense Neil Young apresentou no festival South by Southwest (SXSW) o Pono, que além de sua face mais conhecida até o momento – o player triangular que lembra os primeiros modelos de tocadores de MP3 – é um “ecossistema musical”. Ou seja, o conceito do produto também reúne loja online, conversão de áudio e acessórios – cartões de memória para expansão da armazenagem de músicas, fones de ouvido de alta qualidade, entre outros. Tudo isso com um objetivo: levar aos amantes da música o som mais fidedigno possível, muito mais próximo daquilo idealizado (e ouvido) por artistas em estúdio, durante gravação, do que os atuais arquivos MP3.

Além de propor uma revolução na forma de ouvir música, o projeto liderado por Neil Young – e que já tem o apoio de inúmeros artistas e grandes gravadoras, inclusive – mostra o financiamento coletivo como ferramenta para implementação de projetos e ideias. No mesmo dia 11 o projeto chegou ao Kickstarter, site norte-americano que é a maior plataforma de crowdfunding do mundo, e em dois dias já batia sua meta de arrecadação, de U$ 2,5 milhões – sendo que o projeto se encerra somente em 15 de abril. (Enquanto esse texto é digitado, tarde do dia 20 de março, já são mais de U$ 4,4 milhões arrecadados.)

As recompensas a quem adere ao projeto, conforme o valor investido, são variadas: agradecimento no site, camiseta, pôster de show autografado por Neil Young, diferentes versões do player – incluindo séries exclusivas de artistas como Metallica, Foo Fighters, Willie Nelson, Patti Smith e muitos outros – até ingressos para jantar e festa de audição do Pono com a presença do seu garoto-propaganda.

Dá pra conferir o andamento do projeto pela página no Kicksarter: http://kck.st/1jfVUAc.

PonoPlayer - série limitada - Neil Young

Versão limitada do PonoPlayer com assinatura e material de Neil Young. Vários artistas têm séries exclusivas do player.

 

‘Mas Bah!’ lança projeto da turnê ‘Mas Bah! Desplugado’

Standard
Quinteto vocal de Novo Hamburgo lança primeira campanha do Traga Seu Show em 2014.

Quinteto vocal de Novo Hamburgo lança primeira campanha do Traga Seu Show em 2014.

A primeira campanha de financiamento coletivo do Traga Seu Show em 2014 foi lançada no último domingo, dia 9. Com um pocket show realizado em Porto Alegre, na Livraria Cultura, o Grupo Mas Bah! mostrou suas composições e suas releituras arejadas de canções tradicionais, que devem ser levadas a todas as regiões do estado através do projeto ‘Mas Bah! Desplugado’.

Através das cotas de financiamento disponíveis – em que as recompensas vão desde um ingresso para qualquer uma das apresentações até um show completo do grupo, conforme o valor – serão viabilizados shows em dez cidades gaúchas.

O Grupo Mas Bah! surgiu em 2011 dentro de um Centro de Tradições Gaúchas em Novo Hamburgo, na região metropolitana. Rafa Martins, Jacson Jaques, André Munari, Gustavo Brodinho e Fernanda Lopes se reuniram apenas para acompanhar o grupo de danças do CTG. A química entre os músicos fez com que eles tivessem a certeza de que o projeto deveria seguir em frente.

Unindo estilos da música gaúcha como a vaneira e o bugio com influências da milonga, do jazz, do rock, do samba e outros ritmos universais, o quinteto mostra estilo próprio, cativando novos seguidores da sua arte em novos locais.

Acessa a página do projeto Mas Bah! Desplugado no site do Traga Seu Show e participe dessa iniciativa: http://bit.ly/TSSmasbah.

A música feita no RS em um dos maiores festivais de arte e inovação

Standard

Foram prorrogadas até amanhã, sexta-feira, dia 7, as inscrições para músicos gaúchos que queiram ter material exposto no South By Southwest (SXSW), um dos maiores festivais de arte e inovação do mundo, que ocorre anualmente em Austin, Texas (EUA). A iniciativa é da Secretaria de Cultura do RS, que terá estande no evento. Além da promoção do material no SXSW, visando a fortalecer a internacionalização dos setores criativos e abrir conexões para o mercado internacional, os artistas fazem parte de uma coletânea virtual – que pode ser acessada no endereço soundcloud.com/rs-sxsw. As inscrições são feitas através de formulário virtual: http://bit.ly/1cxkzxk.

Marcelo Fruet & Os Cozinheiros no SXSW do ano passado

Fruet & Os Cozinheiros: experiência em conexões internacionais.

Fruet & Os Cozinheiros: experiência em conexões internacionais. Grupo já foi ao Japão através de financiamento coletivo e participou do SXSW em 2008 e 2013.

Em 2013, Marcelo Fruet & Os Cozinheiros se apresentaram no South By Southwest, durante a turnê americana de estreia do álbum AIÓN. Antes, em 2008, o músico já participara do evento. Conforme relato de Fruet no blog da banda – cozinhandomusica.blogspot.com.br –, o verdadeiro espírito é fazer contatos e ampliar a rede pessoal, negócios, fãs e amigos. “Impressionante o número de pessoas, casas de show, festas, carros, bicicletas e, principalmente, bandas. Ao mesmo tempo caótico e fascinante, o festival se caracteriza por essa pluralidade de estilos, que encanta até mesmo os mais céticos.”

Fruet e Os Cozinheiros tem experiência em levar o seu som para outros países. Além das tours americanas, em 2012 eles concretizaram a participação no Kansai Music Conference, em Osaka, Japão, através de financiamento coletivo no Traga Seu Show. Com o “Projeto Japão” os músicos aprenderam e dividiram conteúdo em uma das maiores conferências sobre o mercado musical independente do mundo, tendo o apoio do público como base, e lançaram por lá o AIÓN.

Expectativa dos participantes gaúchos

Com o mesmo intuito de ampliar contatos expressado por Fruet, o selo da região metropolitana The Southern Crown já tem suas bandas – Frida, Os Vespas, Mar de Marte, Dr. Hank e Rocartê – na coletânea virtual gaúcha para o SXSW. Marcelo Acosta, organizador do selo e baixista d’Os Vespas considera que é imprescindível para qualquer artista mostrar o seu trabalho ao maior público possível, ainda mais quando falamos em independente. “Logo que a secretaria de cultura abriu as inscrições, vimos ali uma grande oportunidade para o selo. Mesmo sendo um selo novo, pequeno, já temos trabalhado com contatos internacionais e acreditamos que a música que fazemos não é apenas algo regional.”

Bem vindos!

Standard

As formigas são insetos que pertencem ao mais alto grau de organização social, elas criam coletivamente sua própria realidade. Com base nesse exemplo, decidimos batizar nosso novo blog de Formigueiro e estamos cheios de sonhos e experiências para compartilhar com vocês.

O espaço é aberto pra quem quiser colaborar e os conteúdos serão diversos, porém queremos focar no financiamento coletivo ligado a arte, principalmente a música.

Acreditamos que o financiamento coletivo pode ajudar a tirar do papel projetos de artistas talentosos e a trazer shows que o público quer ver. Já passaram por aqui ótimos exemplos de como fazer para engajar artista e fã de forma colaborativa, criando uma alternativa de suporte e acessibilidade a cultura. Queremos dividir com vocês nossa experiência, nossos sonhos e principalmente ouvir o que se passa na cabeça de quem ama música e quer colaborar, como nós!

Contamos com seu apoio!

Um abraço,

Traga Seu Show

mosaicotss